O Acadêmico Titular da Academia Paulista de Direito, Floriano Peixoto de Azevedo Marques Neto, Diretor da Faculdade de Direito da USP, concedeu, no dia 2 de maio, entrevista à BBC Brasil, sobre a importância da educação e da missão das universidades públicas, referindo a inconstitucionalidade do corte de verbas implementado pelo Ministério da Educação.

Segundo o Professor Titular da USP, “cobrar a universidade é um dever dos governantes e da sociedade. Temos que prestar contas da nossa missão e dos recursos que recebemos para cumpri-la. Mas é preciso qualificar o que é “balbúrdia”. Se balbúrdia é produzir conhecimento que não convém ao governo, essa medida é inconstitucional, cerceadora da autonomia, anti-isonômica e anti-institucional. Se o governo não deixa claro o que quer dizer, ele permite que se entenda que é uma definição para produção conhecimento que não lhe convém, incompatibilidade da identidade ideológica. Aí a medida é de inconstitucionalidade absoluta. Isso é tornar a universidade caudatária do governo. E no mundo inteiro quando se fez isso deu errado: as universidades que foram capturadas pelos governos fizeram o atraso acadêmico dos países.”

Leia aqui a íntegra da entrevista.