O Instituto Piracicabano de Estudos e Defesa da Democracia – IPEDD, entidade parceira da Academia Paulista de Direito, emitiu nota sobre a grave situação de violação do Estado Democrático de Direito da Bolívia.

Veja a declaração, a seguir.

Os recentes acontecimentos na Bolívia, que culminaram com a renúncia do presidente Evo Morales, são mais um episódio que evidencia a incapacidade de as elites econômicas – tanto as locais bem como as que controlam a cena mundial – de conviverem com o regime democrático e, mais uma vez, jogam um manto sombrio sobre o futuro dos povos da América Latina.
A Bolívia vinha experimentando, nos últimos tempos, anos de significativos avanços em seu processo de desenvolvimento, distinguindo-se pelo crescimento acelerado de sua economia e pela inclusão social.
O coletivo de associados do Instituto Piracicabano de Estudos e Defesa da Democracia (Ipedd), representado por sua coordenação provisória, vem a público para:
a) manifestar sua inconformidade com a forma antidemocrática e violenta encontradas para a solução da crise política naquele país irmão e se solidariza com o povo boliviano;
b) conclamar as entidades democráticas brasileiras e os organismos internacionais a se posicionarem em prol do imediato restabelecimento da ordem democrática na Bolívia, bem como o fim da violência e o respeito aos direitos humanos.