<< Sumário

RESUMO: O tema Direitos Humanos é demasiado amplo e complexo. O estudo em andamento se propõe a pesquisar como a transversalidade do referencial legal e obrigatório se concretiza no Ensino Superior, por meio das políticas publicas, ações sistêmicas concretas dentro do contexto das políticas afirmativas de “inclusão” de grupos excluídos do meio acadêmico devido suas condições sociais, étnicas, de deficiências e questões de gênero.

A trajetória das autoras na área acadêmica, INEP, escolas públicas, movimentos sociais em e sindicato, trazem para o leitor um fio condutor que não comprometa a interdisciplinaridade, mas que assegure o foco na educação e seu compromisso com conhecimento emancipatório para entender o contexto educacional nos quais os direitos humanos são estudados, entendidos e apropriados pelos alunos. Levantamos a problemática que envolve as políticas públicas da educação para o Ensino Superior voltadas à adesão ao Pacto Nacional Universitário pela Promoção do Respeito à Diversidade e da Cultura de Paz e Direitos Humanos lançado em 2017.

E o processo de ações emancipatórias e inclusivas de grupos que entraram nos últimos anos no Ensino Superior. Entendemos que apesar das políticas publicas abrirem espaço e exigirem a discussão sobre o tema, as ações hegemônicas político pedagógicas das instituições ainda está pautada no entendimento dos direitos humanos como ações afirmativas pautadas na ideia de universal/igualitário e não “fundacional/identitário”.

PALAVRAS-CHAVE: Direitos Humanos, ações afirmativas, emancipação, Ensino Superior.

DATA DE SUBMISSÃO: 06/07/2018 | DATA DE APROVAÇÃO: 18/07/2018